quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

É como andar de bicicleta!



Costuma-se dizer que "é como andar de bicicleta: nunca se esquece!" E se repararmos, mesmo que passemos vários anos sem pedalar, quando nos sentamos ao selim e agarramos o guiador, sabemos o que fazer. Claro que podemos estar um pouco enferrujados e ziguezaguear durante alguns metros mas, rapidamente reaprendemos como fazê-lo.

Muitos de nós, têm uma longa história com a bicicleta: uma história de arranhões, quedas e ossos partidos. Outros, nunca caíram e esperam nunca vir a fazê-lo. Temos os que aprenderam, ainda em pequenos, a andar de bicicleta, e aqueles que só o fizeram na idade adulta. Mas, em algum momento da nossa vida, decidimos que queríamos domar este estranho artefacto de duas rodas que parece exigir alguma coordenação física e equilíbrio.




No meu caso, a história envolve uma BMW azul (que na altura me parecia gigantesca!) sem rodinhas, uma tarde solarenga na Quinta do Conde e o meu instrutor particular, o Sr. Armando que, por acaso, também é o meu pai. 


Ora, o Sr. Armando nunca foi muito fã de rodinhas e tem o lema:

« Se caíres, uma coisa é certa: do chão não passas! » 

(o que, como se vê pela imagem, é um facto)








Acabei por não testar se passava ou não do chão, visto que, para além de gozar comigo (que devia ter na altura uns 10 ou 11 anos), o Sr.Armando dizia "não tenhas medo que o pai não te deixa cair!". E não deixou. 

Lá andámos com ele a segurar no volante e no selim, depois só no selim e depois, ouço um: « Onde é que tu vais ? » . Estava a pedalar sozinha! 

Mas, nem todos aprendermos a andar de bicicleta em pequenos. E, apesar de haver uns quantos adultos com o bichinho de pedalar, o receio de caírem no ridículo acaba por levar a melhor. 

Se repararmos, quando somos pequenos, não ligamos muito a quedas espalhafatosas. Qual a pior coisa que pode acontecer ? Partir um braço ? E qual é o problema se temos dois? 

No entanto, com a entrada na adultez, muitas pessoas acabam por se desculpar com o "já estou velho para aprender", "não tenho tempo", "já viste a vergonha que passo se cair da bicicleta ? ". E apesar de até acharem que gostavam de umas pedaladas domingueiras, acabam por não o fazer.

Mas, nunca é tarde para aprender e hoje em dia, existem já várias escolas de condução para bicicletas (para os mais tímidos) ou, se preferirem, ciclovias pouco frequentadas onde se podem espalhar ao comprido sem ninguém ver. Uma coisa é certa: do chão não passam! 



E vocês, recordam-se de como aprenderam a andar de bicicleta ?

Partiram alguns ossos ou correu tudo sobre rodas ?















    Sem comentários:

    Enviar um comentário