domingo, 8 de dezembro de 2013

Aspirante a mecânica

O meu pai costuma dizer, em relação aos carros, que « as pessoas pensam que é só pôr gasolina e andar! Esquecem-se de ver o nível do óleo, o nível da água ... e depois ficam admiradas quando o carro avaria ». Creio que podemos aplicar o mesmo princípio às bicicletas...

Ao fim de algum tempo, é natural que comecemos a ouvir uns quantos ruídos provenientes de peças que nem sabíamos que existiam. Agora a questão é: o que fazer ? 


Tal como acontece com um automóvel, é importante não deixarmos as avarias acumular. É mais simples e económico repararmos o problema assim que ele aparece do que estar a coleccionar pequenas avarias que, em conjunto, acabam por comprometer a nossa segurança enquanto ciclistas.

« Ah mas eu não percebo nada de bicicletas ! » 



Pois. A maioria de nós, quando troca a bicicleta pelo carro, também não percebe nada! Mas, como diz o ditado "primeiro estranha-se, depois entranha-se". A verdade é que, até nisso a bicicleta constitui vantagem em relação ao carro: podemos fazer de mecânicos no meio da sala e, se a coisa correr mal... bem, o pior que pode acontecer é termos de ir a uma loja pedir para repararem, com a certeza que não deixaremos lá o ordenado inteiro.

Bem vistas as coisas, e independentemente da complexidade da bicicleta que tivermos, é importante que, enquanto ciclistas, saibamos o essencial para assegurar a sua boa manutenção. 

E foi com este espírito de aventura que a "Maria Francisca" foi hoje para a oficina improvisada, também chamada de varanda.



A meio da semana passada, quando regressava a casa, notei uns quantos ruídos estranhos na corrente da bicicleta. " Bem, isto deve ser falta de lubrificação" - pensei eu e, decidi meter as mãos à obra !

Depois de uma pesquisa na net, fiquei a saber o material que seria necessário e comecei por reunir

1 lata de desengordurante em spray para limpar 
1 frasco de óleo para lubrificar a corrente
1 pano velho
1 escova de dentes

Depois, foi só seguir as instruções que encontrei aqui. Parece que a corrente desliza melhor ... mas isso pode ser só síndrome de aspirante a mecânica. De qualquer modo, o pior que pode acontecer é a situação não ter ficado resolvida e eu ter de ir a uma oficina ou então... chamar a "assistência em viagem"
















Sem comentários:

Enviar um comentário