segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Era o que faltava!

Costuma-se dizer que "de pequenino se torce o pepino". Geralmente este ditado tem implícita a ideia de que a aprendizagem começa em novo mas, curiosamente, parece-me que há pessoas que se regem mais pelo "faz o que eu digo, não faças o que eu faço".


« E de onde é que vem agora essa conversa toda e o que é que isso tem a ver com bicicletas ? » - perguntam vocês.


Duas palavras: Jardim Zoológico

Para uns, um passeio. Para mim, o Gate to Hell



A Costureira não é esquisita mas, há três coisas que a conseguem tirar do sério: 
  • histeria colectiva
  • a estupidez de algumas pessoas
  • criancinhas aos gritos sem razão


E alguém consegue adivinhar onde é que se encontra tudo isto ? Pois... no Jardim Zoológico.

E o que é que isto tem a ver com bicicletas ? Nada.

Tem a ver, sim,  com civismo. Ou, neste caso, com uma completa ausência dele e com as consequências de transmitir esta postura de "rei na barriga" às crianças.

E porquê ?

O motivo é simples: para os vossos filhos, vocês são o modelo a seguir. 

Por isso, basicamente, se forem uns porreiros, os miúdos vão ser uns porreiros.
Se forem palermas, os putos vão ser palermas.

Se estimularem os miúdos para as actividades ao ar livre, provavelmente vão ser putos curiosos, enérgicos e saudáveis.
Se os trancarem no quarto com o computador, o mais certo é terem crianças apáticas, obesas e que ficam doentes se lhes cair uma gota de chuva na testa.

Se forem civilizados, os putos vão ser civilizados.
Se se comportarem pior do que os animais do zoo, então o melhor é enjaularem as crianças que sempre dão mais espectáculo do que alguns animais.


« Esta não deve gostar de crianças! » - dirão algumas pessoas




Aqui, a questão não é essa mas sim o comportamento dos pais, os exemplos que dão e os valores que transmitem aos filhos.


Vamos então pegar no caso girafa.

Sábado, 23 de Agosto. Recinto das girafas.

Em torno do recinto são visíveis vários avisos: 
« não provoque os animais » 
« não alimente os animais ».
Uma girafa mais curiosa aproxima-se de um ponto onde estava um amontoado de pais com os respectivos filhos. Um dos pais decide apanhar uma folha que estava no chão para o filho dar a girafa. A girafa estica o pescoço e a língua e come a folha que estava na mão da criança. Subitamente, todos os pais entram numa onda de histeria colectiva: apanham folhas do chão, inclinam-se sobre a cerca, esticam os braços dos filhos para alcançarem a girafa. Há inclusive uma mãe que pega na filha com cerca de 2 anos e a passa por cima da rede. Há um miúdo que transpõe a rede e entra no recinto. Todos se empurram e apanham freneticamente as folhas caídas no chão. Parecia a primeira fila de um concerto do Tony Carreira. Tudo isto apesar do aviso: « não alimente os animais ». Ninguém quer saber. 



Depois temos o caso réptil

Sábado, 23 de Agosto. Reptilário.

Em todos os vidros um aviso « não bata do vidro ».
Um pai decide bater nos vidros para "acordar a cobra".
- Olha ali! Olha ali! (PUM PUM PUM) Olha! olha! Ela tá a dormir (PUM PUM PUM)



Há certos momentos em que é bom não termos poder para concretizar os nossos pensamentos. Caso contrário, teria havido uma série de pessoas a ficar sem braço, e um outro a ser mordido por uma cobra venenosa e depois cair dentro do lago dos aligátor-americano.

Mas adiante.

O que é que se transmite às crianças ? 
Borrifa-te para os avisos! Queres bater no vidro? Bate no vidro!
Queres dar comida aos animais? Dá! 
Era o que faltava! Dizerem-me aquilo que posso e não posso fazer.
Paguei a entrada blá blá blá  Sou eu que pago o ordenado a estas pessoas blá blá blá


« Que exagero! São só uns sinais no Jardim Zoológico ! »


A questão é precisamente essa.
São "só" uns sinais. Umas regras. E o que é que se ensina ? A desrespeitá-las.
Claro que se houvesse fiscalização, a conversa era outra. 
Mas então... as regras só devem ser respeitadas quando há algum tipo de castigo?

Mais tarde, será só um semáforo vermelho (deste que a polícia não veja...)
Será só uma proibição de parar e estacionar (são só 5 minutos e toda a gente o faz...)
Será só uma proibição de circular em cima dos passeios (porque não ?)

Será só isto e aquilo. 
Coisas insignificantes. 
Coisas que não temos de respeitar porque temos mais que fazer.
Coisas que não temos de respeitar porque estamos acima das regras.
E tudo começou numa ida ao Jardim Zoológico.




























1 comentário: